SPMJ monta operação especial para atendimento de mulheres, crianças e adolescentes durante o Carnaval

A Secretaria de Políticas para Mulheres, Infância e Juventude (SPMJ) atuará durante o Carnaval 2020 com diversas ações de proteção às mulheres, crianças, adolescentes e jovens. Para os filhos dos ambulantes e catadores de recicláveis, que trabalham durante os dias da festa, será disponibilizado o Centro de Acolhimento, Aprendizagem e Convivência (CAAC), distribuído em três postos, localizados no circuito, com capacidade de receber o total de 440 crianças e adolescentes. As unidades do CAAC estarão na Escola Municipal Hildete Lomanto, no Garcia, na Escola Municipal Osvaldo Cruz, no Rio Vermelho e Escola Municipal Casa da Amizade, em Ondina.

 

Além disso, o Conselho Tutelar atuará em esquema de plantão em três postos de atendimento, que serão realizados orientações, encaminhamentos e aplicação de medida de proteção. Que estarão localizados no Centro Municipal De Educação Infantil Calabar, no Jardim Apipema, Colégio Estadual Úrsula Catharino, no Centro e Escola Estadual Wilson Lins, na Ondina.

 

No total serão 550 profissionais envolvidos na operação da SPMJ. “Com qualificação e comprometimento, teremos uma equipe preparada para atuar nas diversas frentes que compete a pasta, unidos no propósito de promover uma festa segura para todas as crianças e adolescentes, além de conscientizar sobre a não violência à mulher e prestar serviços exclusivos no meio do circuito”, pontua a titular da pasta, Rogéria Santos.

 

Atendimento e apoio às mulheres

 

Pela primeira vez será instalado, no meio dos circuitos do Carnaval, o Centro Integrado de Atendimento à Mulher, Infância e Juventude (CIAMI), com o intuito de proporcionar atendimento e apoio às mulheres, crianças, adolescentes e jovens durante os dias da festa.

 

As duas unidades do CIAMI, uma localizada na Praça do Campo Grampo e a outra na Avenida Adhemar de Barros, em frente a Drogaria São Paulo, na Ondina, contará com equipe multidisciplinar composta por psicólogas, assistentes sociais e advogadas, que estarão a postos para auxiliar e atender demandas de violência, importunação, abusos de violação de direitos, que possam ocorrer nos festejos.

 

Também estarão ativos os mirantes do Observatório da Discriminação Racial, LGBT e Violência Contra a Mulher, em que a SPMJ atuará em parceria com a Secretaria da Reparação (Semur), a fim de registrar e encaminhar casos de violência contra mulheres em ambos circuitos do Carnaval.

 

O Centro de Atendimento à Mulher Soteropolitana Irmã Dulce (CAMSID), localizado na Rua Lélis Piedade, 63, Ribeira, estará de plantão 24 horas para receber mulheres vítimas de violência com filhos de até 12 anos, prestando atendimento psicossocial e encaminhamento jurídico. A equipe da secretaria ainda realizará ação educativa por meio de operações de mobilização e conscientização nos circuitos do Carnaval, estações rodoviárias, metroviárias, aeroporto, hotéis, camarotes e trios elétricos.

0
0
0
s2sdefault